Implantação do sistema de governança na Universidade Federal do Ceará na percepção dos gestores

Autores

DOI:

https://doi.org/10.32586/rcda.v19i1.646

Palavras-chave:

Universidade Federal do Ceará. Governança Pública. Percepção dos Gestores.

Resumo

Este estudo tem o objetivo de analisar a implantação do Sistema Governança na Universidade Federal do Ceará (UFC). A instauração da Governança emana de novas práticas que tendem a mudar o foco da gestão, inclusive nas instituições da Administração Pública brasileira, voltando-o para os interesses dos usuários. Esta configura uma pesquisa de natureza qualitativa-quantitativa, descritiva quanto aos objetivos, por intermédio de um estudo de caso realizado na UFC. A respeito dos procedimentos técnicos foram utilizadas pesquisas bibliográficas e documentais. No tocante ao instrumento de coleta, utilizou-se o questionário. Foram realizadas análises indutivas e comparativas, bem como estatística multivariada. De forma geral, destaca-se que a Secretaria de Governança constitui fator de sucesso para a Governança na UFC, porquanto é um lócus que pensa e instrumentaliza a governança nessa instituição. Por sua vez, o tamanho e a diversidade da UFC constituem um fator crítico, pois dificultam a implantação de uma cultura de Governança. Conclui-se que a UFC dispõe de todas as condições para o êxito do processo de implantação da Governança, dado o esforço que a sua gestão empreende nesse sentido. Importa destacar o fato de que o elemento-chave está nas pessoas da Instituição. Essas precisam ser formadas, motivadas e envolvidas para que não se tornem antagonistas do processo, de modo que os agentes se achem corresponsáveis pelo êxito da Governança.

 

Biografia do Autor

Ruth Carvalho de Santana Pinho, Universidade Federal do Ceará

Contadora, mestre em Controladoria pela Universidade de São Paulo. Doutora em Educação pela Universidade Federal do Ceará. Coordenadora do Curso de Especialização em Auditoria da Universidade Federal do Ceará, professora do Mestrado Profissional em Administração e Controladoria da Universidade Federal do Ceará. E-mail: rcspinho@ufc.br.

Maria de Fátima Teixeira Brasil, Tribunal de Contas do Estado do Ceará

Mestre em Controladoria pela Universidade Federal do Ceará. Técnica de Controle Externo do Tribunal de Contas do Estado do Ceará. E-mail: fátima_tce@yahoo.com.br.

 

 

Referências

ALCÂNTARA, S. M. M. Controle interno. In: GUERRA, E. M.; CASTRO, S. H. R. (coord.). Controle externo: estudos temáticos. Belo Horizonte: Fórum, 2012. p. 115-131.

BARBOSA, C. R. Governança no setor público: um estudo sobre a aplicação dos princípios do modelo do PSC/IFAC na administração direta do estado de goiás. 2017. Dissertação (Mestrado em Administração) – Centro Universitário Alves Faria, Goiânia, 2017. Disponível em: https://bit.ly/2LgSkL9. Acesso em: 4 dez. 2017.

BORGES, A. Governance and educational policy: the recent agenda of world bank. Revista Brasileira de Ciências Sociais, São Paulo, v. 52, n. 18, p. 125-138, 2003.

BRASIL. Decreto nº 9.203/2017, de 22 de novembro de 2017. Dispõe sobre a política de governança da administração pública federal direta, autárquica e fundacional. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 23 nov. 2017.

BRASIL. Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão. Instrução Normativa Conjunta MP/CGU nº 1, de 10 de maio de 2016. Dispõe sobre controles internos, gestão de riscos e governança no âmbito do poder executivo federal. Brasília, DF: Controladoria Geral da União. Disponível em: https://bit.ly/3eCrDLH. Acesso em: 15 ago. 2017.

BRASIL. Tribunal de Contas da União. Governança pública: referencial básico de governança aplicável a órgãos e entidades da administração pública e ações indutoras de melhoria. Brasília, DF: TCU, 2014.

CALMON, P.; COSTA, A. T. M. Redes e governança das políticas públicas. Revista de Pesquisa em Políticas Públicas, Brasília, DF, n. 1, p. 1-29, 2013.

CASTRO, D. P. Auditoria, contabilidade e controle interno no setor público: integração das áreas do ciclo de gestão; planejamento, orçamento, finanças, contabilidade e auditoria e organização dos controles internos, como suporte à governança corporativa. 6. ed. São Paulo: Atlas, 2015.

COUTO, R. M. Governança em instituições de nível superior: análise dos mecanismos de governança na universidade federal de Santa Catarina à luz do modelo multilevel governance. 2018. Dissertação (Mestrado em Engenharia) – Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2018. Disponível em: https://bit.ly/3oyXwIq. Acesso em: 10 ago. 2020.

COZZOLINO, L. F. F.; IRVING, M. A. Por uma concepção democrática de governança para a esfera pública. Revista Políticas Públicas, São Luís, v. 19, n. 2, p. 497-508, 2015. Disponível em: https://bit.ly/2VKLa3K. Acesso em: 10. ago. 2020.

DI PIETRO, M. S. Z. Direito administrativo. São Paulo: Atlas, 2015.

EDWARDS, M.; HALLIGAN, J.; HORRIGAN, B.; NICOLL, G. Public sector governance in Australia. Canberra: ANU, 2012.

FONTES FILHO, J. Rubens. Da nova gestão pública à nova governança pública: as novas exigências de profissionalização da função pública. In: CONGRESO INTERNACIONAL DEL CLAD SOBRE LA REFORMA DEL ESTADO Y DE LA ADMINISTRACIÓN PÚBLICA, 9., 2014, Quito. Anais [...]. Caracas: Clad, 2014.

GEORGE, D.; MALLERY, P. SPSS for Windows step by step: a simple guide and reference, 14.0 update. 7. ed. Boston: Allyn & Bacon, 2006.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GOVERNANÇA CORPORATIVA. Código das melhores práticas de governança corporativa. 4. ed. São Paulo: IBGC, 2009. Disponível em: https://bit.ly/37JSL8e. Acesso em: 15 set. 2019.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GOVERNANÇA CORPORATIVA. Governança corporativa, Origem da governança e linha do tempo. São Paulo: IBGC, 2018.

JENSEN, M. C.; MECKLING, W. H. Theory of the firm: managerial behaviour, agency costs and ownership structure. Journal of Financial Economics, Amsterdam, v. 3, n. 4, p. 305-360, 1976.

LIMA NETO, D. Governança corporativa em administração pública: o caso brasileiro. Administradores, [s. l.], 23 abr. 2011. Disponível em: https://bit.ly/33NExBZ. Acesso em: 20 mar. 2018.

MAIA, J. L; DI SERGIO, L. C. Governança corporativa e estratégia empresarial: mapeamento bibliométrico da produção na área. Revista Gestão & Tecnologia, Pedro Leopoldo, v. 17, n. 2, p. 160-185, 2017.

MARTINS, H. F.; MARINI, C. Governança para resultados: atributos ideais de um modelo. 2010. In: CONGRESSO CONSAD DE GESTÃO PÚBLICA, 3., 2010, Brasília, DF. Anais […]. Brasília, DF, 2010. Disponível em: https://bit.ly/34XbMnF. Acesso em: 15 out. 2018.

MATIAS-PEREIRA, J. A governança corporativa aplicada no setor público brasileiro. Administração Pública e Gestão Social, Viçosa, v. 2, n. 1, p. 109-134, 2010. Disponível em: https://bit.ly/3l1qIXw. Acesso em: 18 out. 2017.

MATOS, F.; DIAS, R. Governança: questões conceituais sobre processos de tomada de decisão, redes de formulação e deliberação sobre políticas de recursos hídricos. In: CONGRESO INTERNACIONAL DEL CLAD SOBRE LA REFORMA DEL ESTADO Y DE LA ADMINISTRACIÓN PÚBLICA, 2013, Montevideo. Anais […]. Caracas: Clad, 2013.

MEIRELLES, H. L. Direito administrativo brasileiro. 28. ed. São Paulo: Malheiros, 2003.

MEIRINHO, A. F. Gestão pública para resultados e indicadores de desenvolvimento sustentável. Para Onde?, Porto Alegre, v. 8, n. 2, p. 114-122, 2014.

MOREIRA NETO, D. F. Governo e governança em tempo de mundialização: reflexões à luz dos novos paradigmas do direito. Revista de Direito Administrativo, Rio de Janeiro, v. 23, n. 4, p. 425-429, 2007.

NTIM, C. G.; SOOBAROYEN, T.; BROAD, M. J. Governance structures, voluntary disclosure and public accountability: the case of UK higher education institutions. Accounting, Auditing & Accountability Journal, Bingley, v. 30, n. 1, p. 65-118, 2017. Disponível em: https://bit.ly/33ONkne. Acesso em: 10 ago. 2020.

OECD. Governance of state-owned enterprises: guidelines on the corporate. Paris: OECD, 2005. Disponível em: https://bit.ly/33QAhSh. Acesso em: 20 dez. 2017.

OLIVEIRA, A. G.; PISA, B. J. IGovP: índice de governança pública: instrumento de planejamento do estado e de controle social pelo cidadão. Revista de Administração Pública, Rio de Janeiro, v. 39, n. 5, p. 1263-1290, 2015. Disponível em: https://bit.ly/39R3wZg. Acesso em: 10 ago. 2020.

OLIVEIRA, R. Gestão pública: democracia e eficiência: uma visão prática e política. Rio de Janeiro: FGV, 2012.

RIBEIRO, R. M. C. Os desafios contemporâneos da gestão universitária: discursos politicamente construídos. In: CONGRESSO IBERO-AMERICANO DE POLÍTICA E ADMINISTRAÇÃO DA EDUCAÇÃO, 4., 2014, Porto, 2014. Anais […]. Porto: Anpae, 2014. p. 1-14. Disponível em: https://bit.ly/3jRLes4. Acesso em: 12 set. 2020.

RIBEIRO, S. M. R. Controle interno e paradigma gerencial. Brasília, DF: Enap, 1997.

RODRIGUES, C. A. Governança para resultados: estudo de caso em uma empresa pública de tecnologia da informação. 2015. Dissertação (Mestrado profissional em Administração Pública) – Escola Brasileira de Administração Pública e de Empresas, Fundação Getúlio Vargas, Rio de Janeiro, 2015. Disponível em: https://bit.ly/3erDSKJ. Acesso em: 25 out. 2018.

RODRIGUES, J. G. L. Princípios para boa governança pública. [S. l.: s. n.], 2014.

RONCONI, L. Governança pública: plataforma democrática. [S. l.: s. n.], 2011.

Publicado

2021-01-14

Como Citar

Carvalho de Santana Pinho, R., & Teixeira Brasil, M. de F. (2021). Implantação do sistema de governança na Universidade Federal do Ceará na percepção dos gestores. Revista Controle - Doutrina E Artigos, 19(1), 194-235. https://doi.org/10.32586/rcda.v19i1.646

Edição

Seção

Artigos