Influência do ICMS ecológico na sustentabilidade ambiental do estado do Ceará

Autores

  • Maria Valcilania Fontenele Lima FACPED
  • Francisca Francivânia Rodrigues Ribeiro Macedo

DOI:

https://doi.org/10.32586/rcda.v17i2.531

Palavras-chave:

ICMS Ecológico. Índice Municipal de Qualidade do Meio Ambiente. Sustentabilidade Ambiental. Ceará.

Resumo

Este estudo teve por objetivo verificar a influência do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Prestação de Serviços (ICMS) ecológico na sustentabilidade ambiental do estado do Ceará. Para tal, realizou-se uma pesquisa descritiva, por meio de uma análise documental e abordagem quantitativa dos dados. O período em análise correspondeu ao intervalo de 2012 a 2016, e a população referiu-se aos 184 municípios cearenses. Verificaram-se os indicadores IQM, ISA, arrecadação total de ICMS do estado do Ceará e o valor do repasse da cota parte aos seus municípios. Os dados utilizados foram extraídos dos sítios do Instituto de Pesquisa e Estratégia Econômica do Ceará (Ipece), da Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Infraestrutura (Sema) e da Secretaria da Fazenda do Ceará (Sefaz-CE), respectivamente. Os resultados da pesquisa permitiram concluir que houve uma influência positiva do ICMS ecológico na sustentabilidade ambiental do estado do Ceará. Pode-se evidenciar maior interesse dos municípios cearenses quanto à preservação ambiental, uma vez que ficou evidente o crescimento do IQM e o conseguinte aumento de repasse de recursos financeiros para os municípios cearenses envolvidos com o programa. Todavia, levantou-se a necessidade de revisar o Programa Selo Município Verde, que abrange o ICMS-E e o ISA, com o intuito de efetivar a participação da sociedade no programa, através da presença da população em estudos, pesquisas e debates sobre o ambiente.

Biografia do Autor

Maria Valcilania Fontenele Lima, FACPED

Especialista em Controladoria e Auditoria Contábil, Faculdade Padre Dourado (FACPED), Ceará, Brasil. Graduada em Ciências Contábeis, Universidade Estadual Vale do Acaraú (UVA), Ceará, Brasil.

Francisca Francivânia Rodrigues Ribeiro Macedo

Doutora em Ciências Contábeis e Administração, Universidade Regional de Blumenau (Furb), Santa Catarina, Brasil. Docente na Universidade Estadual Vale do Acaraú (UVA), Ceará, Brasil.

Referências

ALMEIDA, J. Da ideologia do progresso à ideia de Desenvolvimento Rural Sustentável. In: ALMEIDA, J.; NAVARRO, Z. (org.). Reconstruindo a agricultura: ideias e ideais na busca do desenvolvimento rural sustentável. Porto Alegre: Editora da UFRGS, 1997. p. 33-55.

BENSUSAN, N. ICMS ecológico: um incentivo fiscal para a conservação da biodiversidade. In: BENSUSAN, N. (org.). Seria melhor mandar ladrilhar? Biodiversidade como, para que, por quê. Brasília, DF: Editora UnB, 2002. p. 77-87.

BRASIL. Lei nº 6.938, de 31 de agosto de 1981. Dispões sobre a Política Nacional do Meio Ambiente, seus fins e mecanismos de formulação e aplicação, e dá outras providências. Diário Oficial da União: Brasília, DF, 2 set. 1981. Disponível em: https://bit.ly/1YgMNzS. Acesso em: 22 ago. 2019.

BRASIL. Constituição da República Federativa do Brasil, de 5 de outubro de 1988. Brasília, DF: Presidência da República, 1988. Disponível em: https://bit.ly/1bJYlGL. Acesso em: 17 abr. 2019.

BRASIL. Lei Complementar nº 87, de 13 de setembro de 1996. Dispõe sobre o imposto dos Estados e do Distrito Federal sobre operações relativas à circulação de mercadorias e sobre prestações de serviços de transporte interestadual e intermunicipal e de comunicação, e dá outras providências. Diário Oficial da União: Brasília, DF, 16 set. 1996. Disponível em: https://bit.ly/2lREhPj. Acesso em: 16 abr. 2019.

BRASIL. Lei nº 9.985, de 18 de julho de 2000. Regulamenta o art. 225, § 1o, incisos I, II, III e VII da Constituição Federal, institui o Sistema Nacional de Unidades de Conservação da Natureza e dá outras providências. Diário Oficial da União: Brasília, DF, 19 jul. 2000. Disponível em: https://bit.ly/1bPMrfW. Acesso em: 22 ago. 2019.

BRASIL. Lei nº 12.305, de 2 de agosto de 2010. Institui a Política Nacional de Resíduos Sólidos; altera a Lei nº 9.605, de 12 de fevereiro de 1998; e dá outras providências. Diário Oficial da União: Brasília, DF, 3 ago. 2010. Disponível em: https://bit.ly/2npGJdC. Acesso em: 18 abr. 2019.

CAMARGO, A. L. B. Desenvolvimento sustentável: dimensões e desafios. Campinas: PapirFus, 2003.

CEARÁ. Lei nº 12.612, de 7 de agosto de 1996a. Define, na forma do Art. 158, Parágrafo Único, II, da Constituição Federal, critérios para distribuição da parcela de receita do produto de arrecadação do ICMS pertencente aos municípios. Diário Oficial do Estado: Fortaleza, 12 ago. 1996. Disponível em: https://bit.ly/2jXkw8B. Acesso em: 22 ago. 2019.

CEARÁ. Lei nº 12.670, de 27 de dezembro de 1996b. Dispõe acerca do Imposto sobre Operações relativas à Circulação de Mercadorias e sobre Prestações de Serviços de Transporte Interestadual e Intermunicipal e de Comunicação – ICMS, e dá outras providências. Diário Oficial do Estado: Fortaleza, 30 dez. 1996. Disponível em: https://bit.ly/2W0iHod. Acesso em: 22 ago. 2019.

CEARÁ. Decreto nº 24.569, de 31 de julho de 1997. Consolida e regulamenta a Legislação do Imposto Sobre Operações relativas à circulação de mercadorias e sobre prestações de serviços de transporte interestadual e intermunicipal e de comunicação (ICMS), e dá outras providências. Diário Oficial do Estado: Fortaleza, 4 ago. 1997. Disponível em: https://bit. ly/2lC7EF9. Acesso em: 22 ago. 2019.

CEARÁ. Decreto nº 27.073, de 2 de junho de 2003a. Dispõe sobre a criação do Comitê Gestor do Selo Município Verde e dá outras providências. Diário Oficial do Estado: Fortaleza, ano 6, n. 105, 5 jun. 2003. Disponível em: https://bit.ly/2lA8ges. Acesso em: 22 ago. 2019.

CEARÁ. Decreto nº 27.074, de 2 de junho de 2003b. Dispõe sobre a aprovação do regulamento do Comitê Gestor do Selo Município Verde e do Prêmio Sensibilidade Ambiental. Diário Oficial do Estado: Fortaleza, ano 6, n. 105, 5 jun. 2003. Disponível em: https://bit.ly/2lA8ges. Acesso em: 22 ago. 2019.

CEARÁ. Lei nº 13.304, de 19 de maio de 2003c. Dispõe sobre a criação e implementação do “Selo Município Verde” e do “Prêmio Sensibilidade Ambiental” e dá outras providências. Diário Oficial do Estado: Fortaleza, ano 6, n. 93, 30 maio 2003. Disponível em: https://bit.ly/2kpxI6l. Acesso em: 23 ago. 2019.

CEARÁ. Lei nº 14.023, de 17 de dezembro de 2007. Modifica dispositivos da Lei nº 12.612, de 7 de agosto de 1996, que define critérios para distribuição da parcela de receita do produto e arrecadação do Imposto Sobre Operações Relativas à Circulação de Mercadorias e sobre Prestações de Serviços de Transporte Interestadual e Intermunicipal e de Comunicação – ICMS, pertencente aos municípios e dá outras providências. Diário Oficial do Estado: Fortaleza, 19 dez. 2007. Disponível em: https://bit. ly/2lA5kOY. Acesso em: 17 abr. 2019.

CEARÁ. Decreto nº 29.306, de 5 de junho de 2008. Dispõe sobre os critérios de apuração dos índices percentuais destinados à entrega de 25% (vinte e cinco por cento) do ICMS pertencente aos municípios, na forma da lei nº 12.612, de 7 de agosto de 1996, alterada pela lei nº 14.023, de 17 de dezembro de 2007, e dá outras providências. Diário Oficial do Estado: Fortaleza, 6 jun. 2008. Disponível em: https://bit.ly/2luyDCM. Acesso em: 17 abr. 2019.

CEARÁ. Decreto nº 29.881, de 31 de agosto de 2009. Altera dispositivos do Decreto nº 29.306, de 5 de junho de 2008, e dá outras providências. Diário Oficial do Estado: Fortaleza, 31 ago. 2019. Disponível em: https:// bit.ly/2C1qBY4. Acesso em: 22 ago. 2019.

CEARÁ. Lei nº 16.128, de 14 de outubro de 2016. Dispõe sobre alterações da Lei nº13.304, de 19 de maio de 2003, que cria e implementa o “Selo Município Verde” e amplia a concessão do “Prêmio Sensibilidade Ambiental”. Diário Oficial do Estado: Fortaleza, ano 8, n. 199, 20 out. 2016. Disponível em: https://bit.ly/2kratc6. Acesso em: 23 ago. 2019.

COSTA, L. O.; PAIVA, W. L. Memória de cálculo dos coeficientes de distribuição do ICMS municipal 2010. Fortaleza: Ipece, 2009.

FONSECA, J. J. S. Metodologia da pesquisa científica. Fortaleza: UEC, 2002.

GIL, A. C. Como elaborar projetos de pesquisa. 4. ed. São Paulo: Atlas, 2008.

GODOY, A. M. G. Desenvolvimento e meio ambiente: uma retomada teórica. In: DIAS, M. H. A. (org). Macroeconomia dinâmica: crescimento, ciclos, desenvolvimento e política econômica. Maringá: PME-UEM, 2002. p. 223-254.

HEMPEL, W. B. A importância do ICMS ecológico para a sustentabilidade ambiental no Ceará. Revista Eletrônica do Prodema, Fortaleza, v. 2, n. 1, p. 97-113, 2008.

LOUREIRO, W. Contribuição do ICMS Ecológico à conservação da biodiversidade no estado do Paraná. 2002. Tese (Doutorado em Engenharia Florestal) – Setor de Ciências Agrárias, Universidade Federal do Paraná, Curitiba, 2002.

NALINI, R. Poder Judiciário. In: TRIGUEIRO, A. (org.). Meio ambiente no século 21: 21 especialistas falam da questão ambiental nas suas áreas de conhecimento. 5. ed. Rio de Janeiro: Sextante, 2003. p. 287-305.

NEDER, R. T. Estratégias de transição para o século XXI: desenvolvimento e meio ambiente. Revista de Administração de Empresas, São Paulo, v. 34, n. 2, p. 89-91, 1994.

NOGUEIRA, C. A. G. O crescimento populacional acelerado da região metropolitana de Fortaleza no período de 1992/2002. In: NOGUEIRA, C. A. G. et al. (org.). Conjuntura Econômica do Ceará: 1º trimestre/2004. Fortaleza: Ipece, 2004. p. 26-27.

NOGUEIRA, C. A. G. et al. Uma análise da consistência do ICMS ecológico do Ceará enquanto mecanismo de incentivos e redistribuição de recursos financeiros. Revista Ciências Administrativas, Fortaleza, v. 19, n. 2, p. 446-475, 2013.

NOHARA, J. J. et al. ICMS ecológico como fator incentivador do desenvolvimento sustentável: preservação das bacias hidrográficas. Revista de Gestão Social e Ambiental, São Paulo, v. 5, n. 3, p. X-XX, 2011.

RODRIGUES, M. D. N. et al. ICMS Ecológico como instrumento de responsabilidade socioambiental na gestão pública municipal: estudo sobre a experiência do estado do Ceará. In: CONFERENCE SOUTH AMERICA, 2., 2011, Ribeirão Preto. Anais […]. Florianópolis: CSEAR, 2011. p. 1-7.

ROSSETTO, A. M. Proposta de um sistema integrado de gestão do ambiente urbano (sigau) para o desenvolvimento sustentável de cidades. 2003. Tese (Doutorado em Engenharia de Produção) – Centro Tecnológico, Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2002.

ROSSI, A. et al. ICMS ecológico sob o enfoque da tributação verde como meio da sustentabilidade econômica e ecológica: experiência do Paraná.

Revista de Gestão Social e Ambiental, São Paulo, v. 5, n. 3, p. 90-101, 2011.

TRENNEPOHL, T. D. Incentivos fiscais no direito ambiental. 2. ed. São Paulo: Saraiva, 2011.

TUPIASSU, L. V. C. Tributação ambiental: utilização de instrumentos econômicos e fiscais na implementação do direito ao meio ambiente saudável. 2003. Dissertação (Mestrado em Ciências Jurídicas) – Centro de Ciências Jurídicas, Universidade Federal do Pará, Belém, 2003.

VEIGA NETO, F. C. A construção dos mercados de serviços ambientais e suas implicações para o desenvolvimento sustentável no Brasil. 2008. Tese (Doutorado em Desenvolvimento, Agricultura e Sociedade) – Instituto de Ciências Humanas e Sociais, Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro, Seropédica, 2008.

Publicado

2019-11-26

Como Citar

Lima, M. V. F., & Macedo, F. F. R. R. (2019). Influência do ICMS ecológico na sustentabilidade ambiental do estado do Ceará. Revista Controle - Doutrina E Artigos, 17(2), 177-205. https://doi.org/10.32586/rcda.v17i2.531

Edição

Seção

Artigos